Agri­cultura saudável, alimen­tação sustentável


A alimentação é uma necessidade básica para nossa existência. Portanto, a sua realização merece toda nossa atenção. A agricultura não é uma indústria e os animais não são máquinas. Uma agricultura durável visa uma alimentação vegetal, livre de tóxicos, fertilizantes artificiais ou engenharia genética e contribui à conservação de um sistema ecológico saudável. A pecuária comum atual é insustentável.

No decorrer dos anos a política agrícola fez muitas vítimas em muitos países; os bilhões de animais que cada ano sofrem e morrem na indústria pecuária; a natureza e o meio-ambiente que por causa do uso em grande escala de tóxicos e fertilizantes e a eutrofização ficaram gravemente prejudicados.

No ocidente, o fornecimento de alimentos é muito desequilibrado. Neste momento, muitos recursos e terras agrícolas no mundo são apoderados de maneira irresponsável. Isto é causado principalmente pela importação massiva de forragem e o uso de fertilizantes artificiais e de tóxicos na agricultura.

Assim, muitos agricultores pequenos na Europa são empurrados no caminho funesto do aumento de escala. Tudo isto às custas do contribuinte europeu: anualmente dezenas de bilhões de euros são gastos em subsídios agrícolas dos quais principalmente as empresas grandes aproveitam.

Uma agricultura saudável e sustentável é possível se restaurarmos os ciclos naturais e pagarmos aos agricultores um preço honesto pelos seus produtos. Também é preciso conhecer tudo sobre a proveniência do alimento, como foi produzido e se o preço cobre os custos. A cadeia alimentar deve ser curta e aberta para evitar trapaças com alimentos. Vender carne por preços mais baixos é inaceitável e vamos combater o desperdício de alimentos.

Nosso objetivo final é uma agricultura ecológica e amigável aos animais que produz alimentos saudáveis e que não depende de importações que prejudicam pessoas e animais noutros lugares. Para tanto é inevitável encolher o número de animais na pecuária e mudar para um padrão alimentar mais vegetal.

Relacionado

Parem com as propa­gandas de carne e viagens aéreas! Países Baixos foram os primeiros no mundo e recebem seguidores inter­na­ci­onais

A cidade de Haarlem, nos Países Baixos, é a primeira cidade do mundo a proibir a publicidade de carne em espaços públicos. A pecuária é uma das principais causas da crise climática e da biodiversidade, razão pela qual o município quer reduzir o consumo de carne. Outras cidades já proibiram a publicidade de combustíveis fósseis, carros a gasolina e viagens aéreas baratas. Na Finlândia, também, o pa...

Notícias