Os partidos europeus remodelam o sistema político defen­dendo a repre­sen­tação animal


15 Maio 2024

Os partidos políticos dedicados aos direitos dos animais de seis Estados-Membros diferentes uniram forças para participar nas próximas eleições em junho para o Parlamento Europeu. Os partidos participantes dos direitos dos animais da Alemanha, Países Baixos, Portugal, França, Chipre e Espanha uniram-se sob o nome “Animal Politics EU: a European Movement Representing Animals”. Os partidos lançaram conjuntamente a sua campanha visionária « Os animais não podem votar, mas tu podes!»: um apelo claro para repensar o sistema político de representação na União Europeia. Pesquisas recentes estimam que a Animal Politics EU ganhará de 2 a 4 assentos nas próximas eleições da UE.

A ideologia dos partidos participantes difere fundamentalmente da dos outros partidos europeus. Enquanto os partidos convencionais se baseiam principalmente na reação e se concentram em soluções técnicas de curto prazo, estes partidos animais questionam as implicações morais do sistema político como um todo. “Esse movimento é mais que uma campanha; é uma parte essencial da mudança mundial para transformar a nossa sociedade num lugar mais gentil e ético para todos os seres vivos; a começar na Europa.”, afirmou o coletivo em seu site.

Pedro Fidalgo Marques, cabeça de lista do PAN:
“Temos de assegurar que os animais têm uma voz no Parlamento Europeu. Não podemos ignorar a exploração animal e por isso é essencial votar no PAN e nos partidos animalistas europeus para assegurar que esta voz terá um lugar no Parlamento Europeu.”

Manifesto

Os partidos da Animal Politics EU lançaram o seu manifesto que converte a sua abordagem crítica ao sistema em planos pragmáticos para a UE. Os objetivos notáveis do manifesto são o redirecionamento dos subsídios da UE da agricultura animal para a agricultura sustentável baseada em plantas, e a nomeação de um Comissário da UE para o Bem-Estar Animal. O manifesto também dá conta de iniciativas de cidadãos com milhões de apoiantes, como a proibição de gaiolas, peles e testes em animais.

Protestos de agricultores

Estamos a atingir um ponto de virada na política, com os protestos dos agricultores a pressionar a UE a mudar as suas políticas no sentido de regulamentos menos ecológicos e mais flexíveis que dão mais poder às empresas destrutivas da agroindústria. Estes desenvolvimentos exigem um forte contramovimento, responsabilizando os maleáveis decisores políticos e representando os interesses dos animais e da natureza – os mais afetados nesta disputa de controlo entre as grandes empresas agrícolas.

Partidos participantes

O coletivo Animal Politics EU é composto por seis partidos políticos participantes nas eleições europeias de junho de 2024:

  • Parti Animaliste França, candidata principal Hélène Thouy
  • Partido Animalista Con el Medio Ambiente (PACMA) Espanha, principal candidata Cristina García Partido
  • Pessoas-Animais-Natureza (PAN) Portugal, candidato líder Pedro Fidalgo Marques
  • Partij voor de Dieren Holanda, principal candidata Anja Hazekamp
  • Partei Mensch Umwelt Tierschutz (Tierschutzpartei) Alemanha, candidato principal Sebastian Everding
  • Κόμμα για τα Ζώα Κύπρου (Partido Animal Chipre), principal candidato Kyriakos Kyriakou