Worldlog Semana 24 – 2012


11 Junho 2012

Amanhã é a continuação do primeiro debate parlamentar sobre meu projeto de lei para proibir o abate ritual sem atordoamento. Na semana passada o secretário de estado Bleker apresentou o ´polderconvenant´ sobre abate ritual impressionante, também será discutido amanhã no Senado. Bleker veio na fase final do projeto no Senado de forma inesperada com o plano de concluir uma aliança com organizações religiosas. O debate foi, portanto, infelizmente, parado. O Senado teve que esperar bastante por uma maior clareza.

A aliança que Bleker finalmente apresentou tem muita assemelhança com a alteração que o partido CDA apresenteou e que recebeu pouco apoio na Camara. Com essa alteração iria ser arranjado que os açogueiros religiosos teriam a oportunidade ao abate sem anestesia, um compromisso foi sugerido onde num período de 45 segundos o animal ficaria com o pescoço cortado e poderia sofrer e se sufocar com seu próprio sangue. Se o animal após os 45 segundos não ficar inconscientes, seria ainda dado um tiro de misericórdia, e a carne não seria mais adequado para Kosher ou consumo Halal, mas seriam removidas para processamento em ração animal e processados.

Quer saber mais sobre o abate kosher? Procure por ‘If This Is Kosher’ por Jonathan Safran Foer.

Na Câmara não houve simpatia ou compreensão para a alteração do partido CDA. Apenas frações dos partidos cristãos (CDA, União Cristã e SGP) apoiaram a proposta. Um contraste com a grande maioria na Câmara, que decidiu num acordo aprovar o projeto de lei. Estou muito surpresa com os acontecimentos em torno da aliança, mas eu estou ansioso para amanhã suplicar minha proposta de lei, o que realmente levará à melhores para os animais.

Belas imagens no site do the Boston Globe the Big Picture do planeta Vênus passando pelo Sol.

A terrível matança de golfinhos nas Ilhas Faroe (uma província autônoma da Dinamarca) começou novamente. A cada ano acontece neste lugar este massacre bárbaro de baleias-piloto, uma espécie de golfinhos. Esta linda espécie de golfinhos foi uma vez caçado para prover a população local de alimento. Hoje, esta caça não é mais necessária para alimentar a população, mas a caça anual se tornou uma tradição cultural. Durante a caça, os homens em barcos flutuam e empurram um grupo de baleias-piloto para baía, onde são retiradas da água por ganchos de aço na cabeça. Todos os anos centenas de animais são mortos durante a temporada de caça, agora há já 120 mortos.

Consideramos uma vergonha que o governo das Ilhas Faroe permita a caça que não tem nenhuma finalidade, e portanto pedimos a todos que enviem um email de protesto para o Governo das Ilhas Faroé para informar que essa caça deve ser interrompida o mais breve possível. Registre também!
Até a próxima semana,

Marianne