Worldlog Semana 19 – 2012


7 Maio 2012

Na semana passada foi concluído um acordo na Holanda para satisfazer à norma de Bruxelas que diz que o défice orçamental não deve exceder três por cento. O acordo foi alcançado por um conjunto de partidos que passou a ser chamado a coligação de Kunduz. Os partidos VVD (Partido Popular para Liberdade e Democracia), CDA (Apelo Democrático Cristão), GroenLinks (Verde Esquerda), ChristenUnie (União Cristã) e D66 (Democratas 66) formam essa coligação porque no ano passado eles decidiram conjuntamente que uma missão policial Holandesa fosse enviada à província de Kunduz no Afeganistão. Nós achamos que é impossível ensinar agentes de polícia a ler e a escrever e ao mesmo tempo proporcionar uma formação profissional em dezoito semanas.

Na semana passada a coligação de Kunduz arranjou um pacote de economia que nosso partido de jeito nenhum pode apoiar. Por exemplo, essa coligação sacrificou a polícia para animais que acabou de ser fundada. O PvdA (Partido do Trabalho) e D66 (Democratas 66) dizem que a polícia para animais será abolida por motivos de economia mas nós não acreditamos nisso. O motivo é se vingar do PVV (Partido para a Liberdade) (o partido que criou a polícia para animais), porque esse grupo parlamentar que inicialmente tolerava o governo saiu da coligação governamental causando assim a queda do governo. A formação de 1 agente em Kunduz custa 500.000 euros, mas a missão em Kunduz deve continuar não obstante a necessidade de economizar. Mas economizar no bem estar de animais parece ser fácil, e mais uma vez os animais sofrem as consequências.

Desde a vinda da polícia para animais e do número de telefone para fazer menção do sofrimento de animais o número de menções do sofrimento de animais quase dobrou. Animais negligenciados e maltratados são levados embora de seus donos mais frequentemente e os culpados são punidos mais vezes. Graças à polícia para animais. O número de medidas de direito administrativo no primeiro trimestre de 2012 foi três vezes maior que em todo o ano de 2011! Nós ficaremos advogando para a indispensável polícia para animais.

A mortalidade de toninhas e de focas na Holanda é assustadoramente alta. Desde o dia 1 de março já deram à costa 25 toninhas nas praias perto do lugarejo Ouddorp. A alta mortalidade provavelmente é causada pelo grande número de redes de pesca e de nassas no braço de mar de Grevelingen. Pelo que parece esses mamíferos marinhos sendo considerados uma captura colateral foram cortados fora das redes para em seguida acabarem gravemente mutilados nas praias perto de Ouddorp. A minha substituta na Câmara Baixa, Anja Hazekamp fez perguntas parlamentares ao secretário de estado demissionário Bleker sobre isso.

Não é fora do comum que animais sejam arremessados para as praias nos arredores de Ouddorp mas excepcional é que são tantos em tão pouco tempo e que a maior parte dos golfinhos se encontram severamente mutilados. Esses mamíferos marinhos protegidos têm cortaduras até o osso e às vezes até faltam inteiros pedaços de carne. A origem das feridas ainda não foi esclarecida mas as cortaduras parecem ter sido feitas muito conscientemente. É muito plausível que as toninhas mutiladas foram cortadas fora das redes e nassas como captura colateral. Portanto nós queremos saber se a morte desses animais tem que ver com as redes de pesca e se esse for o caso, o que se vai fazer para evitar isso.

Recebemos uma bonita pequena notícia do Brasil: I just want to say THANK YOU for the wonderful documentary Meat the truth. It was informative, powerful and wonderfully delivered. Congratulations !!!! Luiz Reikdal, from Curitiba BRAZIL. Ainda não assistiu ao filme Meat the Truth? É possível ver o documentário integral no http://www.meatthetruth.nl/en/

Até mesmo o Obama está começando a ficar inspirado pela nossa forma Europeia de defesa política dos interesses de animais.

Novas do Japão: Na mal afamada enseada em Taiji no Japão vai ser realizado um parque de golfinhos. Cada ano muitos golfinhos são forçados a entrar nessa baía. Uns tantos são aprisionados e vendidos a lagos de golfinhos pelo mundo inteiro. Os golfinhos que restam são mortos cruelmente para a carne. O documentário The Cove mostra mais sobre esse fato horroroso. Agora Taiji inventou fechar uma parte da baía para ali começar um parque de golfinhos onde a gente pode nadar com golfinhos. Ao mesmo tempo e na mesma baía chacinar cruelmente golfinhos e usá-los como uma atracção pública é uma ideia muito esquisita. Espero que esse plano infeliz não seja realizado e que a matança de golfinhos seja proibida muito em breve!

Saudações,

Marianne