Blog da Esther: Uma mudança positiva está no ar


29 Setembro 2020

O historiador Philip Blom declarou recentemente: “Estamos em um ponto crítico, e as coisas podem ir para ambos os lados. Estamos presos em um sistema econômico que não pode durar muito mais tempo. Ou termina em uma catástrofe com novas pandemias, guerras sobre o acesso a recursos, seja lá como quiserem, ou iremos na outra direção. Mas o fato de que vai virar para um lado ou para outro, isso é certo."

Sinais de pontos críticos a se aproximar estão ao nosso redor. Os cidadãos estão se revoltando contra governos que não têm coragem de enfrentar adequadamente a crise climática, a crise da biodiversidade e as crises de justiça social. Na última sexta-feira, pessoas participaram de protestos climáticos em pelo menos 3.100 (!) sítios diferentes em todo o mundo. Os jovens estão a exigir acção. Acção para salvaguardar não apenas seu futuro, mas também para criar um presente habitável. Em países como Vanuatu, Filipinas, Índia e Colômbia, as consequências da crise climática e da biodiversidade já se fazem sentir.

Jovens de todo o mundo exigem acções contra a demolição do nosso clima, natureza e meio ambiente. Na foto, jovens de Vanuatu, Filipinas, Índia e Colômbia. Eles são confrontados com desastres “naturais” dia após dia. Fotos obtidas através da plataforma Mondiaal Nieuws.

Ouse deixar ir o antigo sistema
A mudança está no ar. Mas Keynes, o economista, já observou que a dificuldade não é necessariamente desenvolver novas ideias, mas escapar das velhas. Fugir dos velhos hábitos de governos e políticos que continuam a priorizar o dinheiro e os interesses das indústrias poluidoras acima de um planeta habitável e dos verdadeiros interesses dos cidadãos.

Agora é a hora de os governos abandonarem todos esses velhos hábitos e apoiarem firmemente seus cidadãos. Para que façam o que pagamos aos nossos governos para fazer: proteger o que é mais importante para nós. Nossa saúde e nosso ambiente de vida. Existem muitas soluções disponíveis. Só precisamos de mais políticos com coragem para escolhê-las. É hora de tomar decisões. Enquanto governo, você não pode afirmar que deseja uma sociedade saudável e sustentável, mas ainda dar rédea solta aos doentios gigantes da alimentação e ainda injetar bilhões de dólares na indústria de combustíveis fósseis, na aviação e na pecuária industrial.

Neste mês, o governo dos Países Baixos apresentou os planos e o orçamento para o próximo ano. No entanto, esse orçamento está a nos direcionar para o ponto de inflexão da catástrofe, em vez de seguir na direção de uma sociedade saudável. Outro velho hábito. Durante esse debate, usamos o palco político para criar um agito. Não apenas com palavras, mas também com nossas roupas.

Foi por isso que usei um terno feito de tecido de bambu sustentável este ano. Nas costas do meu terno estava escrito ‘Keerpunt, maar niet terug’, que significa ‘Um ponto de virada, mas não para trás’. Porque a crise que estamos a enfrentar é um ponto de virada, mas definitivamente não é um ponto de retorno aos negócios de costume. Nossa mensagem foi: não vamos voltar aos nossos velhos hábitos, mas vamos organizar nossa economia de uma forma que fortaleça o bem-estar dos animais, das pessoas e de nosso planeta.

Terno de Esther, feito sob medida por Mediha Kaplan de “Kaplan alfaiates sob medida para mulheres”. Foto de Thomas Slijper.

Perseverança compensa
O Partido para os Animais e nossos partidos afiliados somos a força motriz por trás de mudanças positivas na arena política. Desafiamos consistentemente o governo e outros políticos a se libertarem de seus velhos hábitos e dos sistemas baseados em combustíveis fósseis. E o fazemos com sucesso.

No rádio, um analista político recentemente colocou em palavras o que o Partido para os Animais está fazendo: “O Partido para os Animais foi criado para mudar o debate. Foram eles que trouxeram os "assuntos dos animais" para uma arena política que só falava dos assuntos humanos. No início, eles foram ridicularizados, mas agora podemos ver que o partido conseguiu uma mudança de paradigma: eles tornaram aceitável um ponto de vista inaceitável”.

E é assim que é. Nossa mensagem sempre foi: o bem-estar das pessoas, dos animais e do planeta é mais importante do que o dinheiro. Graças aos nossos esforços, cada vez mais políticos estão a reconhecer que a indústria animal é um problema que deve desaparecer o mais rápido possível. A ligação entre doenças como a COVID-19 e a forma condenável como tratamos os animais também é reconhecida. Sempre destacamos a destruição da natureza e as violações dos direitos humanos e animais que acompanham muitos acordos de livre comércio. E por muito tempo fomos os únicos a fazer isso, mas no momento não há mais uma maioria nos Países Baixos para acordos de livre comércio como esses. O próximo a vir, o Mercosul, entre a UE e países como o Brasil, está agora fora de questão graças à nossa perseverança.

A ideia de que o crescimento econômico sem fim não é a solução para nossos problemas, mas na verdade é o próprio problema, também está a ficar popular. Mais e mais políticos estão a concluir que devemos parar de focar no crescimento econômico. E que em vez disso devemos nos concentrar em uma economia saudável, que permaneça dentro dos limites ecológicos e fortaleça a saúde dos humanos, dos animais e da natureza.

A maré está a mudar e aqueles que perseverarem vencerão.

Nosso movimento está a crescer!

Esther e os fundadores do novo partido político para os animais da Moldávia (PONA).

Que a resistência aos velhos hábitos está a crescer tornou-se claro também em alguns acontecimentos políticos nas últimas semanas. Em minha publicação anterior, falei sobre os avanços de nossos partidos aliados dinamarqueses e gregos. Desta vez, foi o nosso partido aliado italiano, Partito Animalista Italiano, que conseguiu um avanço ao obter uma cadeira no parlamento da região da Campânia! A primeira vez na história italiana! A nossa eurodeputada Anja Hazekamp gravou uma mensagem de vídeo para as eleições na qual expressou o seu apoio ao nosso partido irmão italiano.

Há mais boas notícias: outro partido político para os animais foi fundado, desta vez na Moldávia! O novo partido chama-se PONA, que significa Pessoas, Natureza e Animais, e foi finalmente reconhecido como um partido oficial depois de anos de luta contra regras eleitorais injustas. O juiz supremo da Moldávia tomou a decisão de reconhecê-los no início desta semana. Notícias fantásticas para todas as pessoas na Moldávia que desejam um futuro saudável para humanos e animais! Pude conhecer as pessoas incríveis por trás do PONA em 2018. Admiro muito sua perseverança.

Juntos, enfrentaremos qualquer pessoa que atrapalhe os animais, a natureza e o meio ambiente. Juntos, iremos garantir que o ponto crítico irá na direção certa.

Cuidem bem uns dos outros e não parem de agir!

Até a próxima,

Esther Ouwehand
(Líder do Partido para os Animais dos Países Baixos)