Partido para os Animais: Proibir a sobre­pesca e os subsídios de bilhões de euros da UE para os super barcos de arrasto


3 Dezembro 2019

O Partido para os Animais condena a política de pesca do governo holandês. Pesquisas realizadas por organizações de conservação da natureza revelaram que em quase metade dos casos (48%) os Países Baixos estabelecem cotas de pesca que excedem o limite sustentável estabelecido pelos cientistas. Isso significa que muitos peixes são capturados estruturalmente e que as populações de peixes não são capazes de se recuperar.

Deputada do Partido para os Animais, Anja Hazekamp, na ação realizada pela Compaixão na Agricultura Mundial no Parlamento Europeu, a pedir por conscientização sobre o sofrimento em massa de peixes.

O deputado do Partido para os Animais, Frank Wassenberg, está a requisitar ao governo que se oponha aos subsídios de pesca europeus para os super barcos de arrasto (traineiras). Esses subsídios prejudiciais de bilhões de euros violam os acordos da Organização Mundial do Comércio (OMC) e os objetivos de desenvolvimento sustentável das Nações Unidas. O Partido para os Animais também quer que o governo abandone a exceção à redução das pescas acessórias de bacalhau.

"O ministro deve interromper imediatamente a sobrepesca estrutural e ter como guia para a políticas pesqueiras a saúde do ecossistema marinho ", de acordo com Wassenberg. “A existência de populações de peixes nas águas europeias está em sério risco devido à sobrepesca estrutural. A pesca excessiva é uma ameaça para todo o ecossistema, porque muitos outros animais dependem de peixes para alimentação. Além disso, peixes jovens vulneráveis, como o bacalhau altamente ameaçado, mas também mamíferos marinhos, tubarões e raias são capturados nestas redes.”

As negociações entre os ministros europeus da pesca serão realizadas em dezembro de 2019 para determinar quantos peixes os Estados-Membros da UE poderão capturar em 2020. Anteriormente, foi acordado na Europa que todas as cotas de pesca deveriam estar em um nível de pesca sustentável até, no máximo em 1 de janeiro de 2020. A ministra holandesa responsável pela pauta disse várias vezes que concorda com a meta de sustentabilidade, mas falha em agir de acordo. Os interesses econômicos de curto prazo do setor continuam a ter vantagem.

O Partido para os Animais quer saber da ministra quais são as consequências se os Países Baixos não atingir esse objetivo até 1 de janeiro de 2020. Ela também precisa fazer um plano para comprar o setor de pesca e abolir os subsídios europeus de bilhões de dólares. euros para barcos de arrasto (traineiras) de empresas holandesas, entre outros. Isso dará ao ecossistema marinho a chance de se recuperar, o que é extremamente necessário.

O que nós defendemos

Biodiversidade

Organização relacionada